28/11/2011

Edilson Moreno, o brega vai bem obrigado.

"Meu coração, sinto que ele vai parar se você for de mim"

Hoje acordei com um gostinho de nostalgia, ouvi uns rocks, coloquei jazz e o escambau, mas nada combinava comigo, hoje.

Então lembrei que eu tinha um cd com uns hits do Edilson Moreno aqui em casa, coloquei para tocar, e pra minha surpresa ainda lembrava de todas as letras, até arrisquei uns passos sozinha.
Edilson Moreno consegue falar das desilusões de amor de um jeito diferente, ao contrário das depressões que costumamos curtir com músicas tristes e com um som que dá vontade de chorar mais.

"Eu sou brasileiro, do Pará tenho tempero, de Belém eu tenho cheiro"

Uma das músicas mais interessantes dele (na minha opinião) é "Lamazon", que fala sobre o gosto de ser brasileiro, do hibridismo cultural que o país tem. 


Edilson nos apresenta um brega que contagia (acho essa palavra estranha) e que apesar de haver uma tristeza nas letras, dá vontade de dançar, juntar a familia, colocar a colher na farofa, preparar o vinagrete, assar uma carne e ficar de molho no igarapé mais próximo.

Sinceramente, acho que o mundo anda muito cheio de frescura, as pessoas tem vergonha de ouvir isso ou aquilo, ou dizer que gostam de programas ditos da classe baixa. Nossa classe média anda meio chata e comendo uma rodela de filé que custa cem reais, em prato de porcelana japonesa.

Toda vez que ouço Edilson Moreno penso em como seriamos mais felizes se não tivessemos vergonha de sermos um pouquinho bregas vez ou outra. 

Ele cantou em trio elétrico, já fez jingles que foram sucesso na publicidade paraense e já ralou muito tocando em bares. 

O artista tem mais de 400 músicas gravadas por diversos artistas. A década de 80 do brega no Pará, tem a cara dele. Eu arriscaria dizer que Edilson é um dos reis do brega de 80 e 90.

Fiquei feliz quando olhei a lista de artistas do Terruá Pará desse ano e vi o nome dele. 
Edilson no palco é sensacional, dança, alcança agudos extraterrestres, empolga a platéia, tem aquele ar do brega de cortejar as mulheres, sem falar no estilo marcante. 

Cabelos grandes e encaracolados, que relembram aqueles galãs de novela porto riquenha, óculos de sol inusitados, chapéu branco e barbicha bem feita, impossivél não reconhecer Edilson Moreno. 

Me recordo de ter visto uma entrevista dele no programa da Ursula Vidal, que foi muito divertida. Ele é bem humorado, faz boa música (sim, o brega é boa música, pelo menos pra mim) e ama o que faz, isso fica óbvio.


Uma vez fui para Cotijuba, sentei n'um bar de lá que fica perto da praia, aqueles bares que o cara vem te atender sem camisa e de bermuda jeans desbotada, com um guardanapo no ombro. Sentei numa cadeira amarela com o símbolo dos pinguins da Antarctica todo descascado. Aí pedi uma cerveja e começou a tocar "Pirangueiro" (risos), égua, me lembrei de um amigo que tenho que não paga uma menta, que nem o Edilson canta na música.

"Eu fumo mais eu não trago, e quando eu trago não dou pra ninguém" acho muito engraçada essa letra, e é claro divertidíssima.

Já é hora de conhecer Edilson Moreno, porque a vida é curta e o amor também.

2 comentários:

  1. Adnaldo Produtor G. Silva28 de novembro de 2011 08:03

    Egoa minia amiga podicre curto mt o edilso moreno akela musika lamazon pode repara ele fala d todas as capitas do norte menos d manals pq sera hem kkk #foramanals abs flw glw tlw plw klw

    ResponderExcluir