23/12/2011

Los Porongas, um rio de maturidade.

"O tempo nunca é o mesmo em todo lugar. Nem o silêncio dura tanto quanto quer durar. O mar do medo é uma gota pra se navegar. A vida só começa cedo pra quem acordar (...) Quando a gente vai deixar cada segundo respirar?"
 

Minha semana foi uma grande espuma de conturbação, não que tenha sido das piores. Peguei um ônibus errado ontem voltando do show da Lu Guedes (que por sinal, não foi menos que genial). Talvez eu estivesse meio afetada pela música dela, que me fez perder um pouco a racionalidade.
 
Fico n'uma viagem estranha e faço merdas besteiras como pegar o ônibus errado e parar no Jurunas vestindo um vestido dos anos 50 amarelo "me rouba por favor".

Vi uma Belém que no meu dia a dia não costumo ver, então vendo valas e as ruas aos pedaços só consegui pensar no álbum dos Los Porongas. Porque o "Segundo depois do silêncio" faz eu me sentir com os pés no chão e com o pulmão cheio de ar, daquele que a gente puxa a mais sem precisar na verdade.

Como sempre, demorei para ouvir o álbum, que a banda disponibiliza no próprio site.

"Los Porongas", como disse um amigo: "Nique não parece ser o nome de uma banda de roque". Aí que está, não é uma banda de roque somente, é uma banda que é bem além de explicações. Seria uma injustiça colar esse rótulo na testa dos meninos. Não é um álbum que corre facilmente pelos ouvidos de primeira, mas com mais algumas audições desemboca no coração lentamente, sem caminho para voltar.

"Quando o barco balançar você vai permanecer, eu pulo. Quando a noite amanhecer, você vai me procurar. Eu fujo. (...) Se eu caio logo me levanto e penso no que mais quero fazer"

A jornada da vida é coisa para doido. Somos loucos que se aventuram em viver todos os dias. Quando ouço "Dois lados" entendo perfeitamente porque dentro daquele ônibus eu só conseguia pensar nessa letra acima. 
 
Estamos sempre procurando lugares seguros e nessa busca por tanta segurança deixamos de enxergar tanta coisa. Fico todos os dias me perguntando n'uma espécie de mantra se quando o barco balança sou eu a que permanece ou a que pula. Se for pra pular que seja pra buscar ajuda né?! (risos)
 

Então, Los Porongas é uma banda acriana, que lançou o álbum de estreia em 2007 e desde lá vem fazendo um burburinho gostoso. Nessas horas que fico triste com a minha falta de grana, ano passado eu poderia ter visto o show deles no Se Rasgum, mas não rolou.

Achei engraçado porque tem uma faixa no cd que tem participação especial do Hélio Flanders do Vanguart. Digo que é engraçado porque quando ouvi "Mais difícil" pensei: nossa, essa música tá muito Vanguart, aí no segundo verso comecei a rir da minha leseira. Claro né Nique! Essa voz é do Hélio! (risos). Foi uma boa surpresa. E fica mais bonito ainda vendo esse vídeo do Estúdio Showlivre.

Mas apesar de toda essa minha tietagem pelo Vanguart, não acho que seja a melhor música do "Segundo depois do silêncio". Para ser mais sincera ainda, é quase uma missão impossivél (maldito Tom Cruise, não consigo mais falar essa expressão sem lembrar dele)dizer qual é a melhor música.

É necessário avançar para o novo ano tendo ouvido a progressividade de "A Fortaleza" e a linha de baixo de "O Lago", que além de serem lindas tem letras profundas, que colam no coração sem subestimar a inteligência e a sensibilidade, que não são só coisas dos intelectuais com suas pernas cruzadas.

"Quero uma palavra mais bonita e pertinente pra compreender o que foi falado quando eu fiquei calado (...) do velho eu faço o novo como um lago onde há coisas mortas".

Diogo Soares (vocal), Jorge Anzol (bateria), Márcio Magrão (baixo) e João Eduardo (guitarra), formam o "Los Porongas". A "poronga" é um objeto usado pelos seringueiros para iluminar o caminho. Acho adequado para uma banda que clareia sentimentos que nem eu sabia que existiam depois de os ouvir. 
 
Arte de um grupo que já se mostra com um elevado amadurecimento musical.

"Nossa vida vai dizer o que mais importa. Hoje é dia de dizer que o amor convém (...) tanta vida vai nascer desses nossos passos"
Só me resta dizer que ainda bem que há muita vida pela frente e todo o tempo do mundo para ouvir Los Porongas, e acredite, você não vai conseguir passar por eles intacto.


Para baixar clique aqui.

Nenhum comentário:

Postar um comentário