04/01/2012

O mundo de Flávia Bassalo.

Qual é o encanto que a fotografia tem que faz com que a gente sem perceber se envolva com ela no cotidiano?
Flávia Bassalo
Quando eu era criança tinha uma máquina fotográfica daquelas coloridinhas, vivia pra cima e pra baixo com ela. Lembro bem que pegava grilos na grama do colégio e levava eles pra casa, fotografava todos no potinho e depois soltava no queintal de casa.

Também é vivo na minha memória as poses que fazia com vestidos diferentes nas lojas, meu pai me fotografava com todos e geralmente só dava pra levar um, porque roupa de criança sempre foi muito cara.

Olho as fotos de quando era criança ou da minha adolescência e parece que revivo tudo em poucos segundos. A fotografia seja ela de familia, de moda, de arte, sempre me tocou de uma forma diferenciada.

Então, faz um tempo que conheci uma moça chamada Flávia Bassalo, quando ela fez uma exposição no prédio do Centur com mais dois artistas. Lembro que a Flávia entrou na sala tímida e falava da arte dela de um jeito timido também, disse que não gostava muito de expor as fotos.

Conheço alguns artistas tão brilhantes quanto a Flávia, mas que se escondem. O que é uma pena porque estamos sempre carentes de arte que nos faça pensar e refletir de verdade. 

A artista visual tem um carinho especial pela foto analógica que posteriormente tem elementos inseridos com a ajuda de programas de computador. 

O trabalho dela me dá uma sensação de amor revivido de forma artesanal, no qual juntamos cada lembrança de um jeitinho diferente. Dá uma vontade incontrolável de viver no mundo que Bassalo cria em suas fotos.

Cada um escolhe a maneira de contar sua história, seu dia a dia e a forma de expor o que se tem na alma e no coração. Se formos ler o coração dela, partindo da arte que faz, teremos grandes surpresas com um pouco de pop arte, música, religião e romance. 

A artista nos faz passear por um mundo diferente do que nossos olhos estão acostumados a olhar, quem diria que tanta timidez esconderia tanta beleza. Existe nos registros de Flávia uma forma de literatura, onde podemos ler sobre certos lugares e pessoas, e imaginar em que contexto aquela foto se encaixa.


Cada obra pode nos dar dica sobre uma sociedade influenciada pela pop arte e por ídolos que nos fazem vestir, ouvir e nos comportar de maneira diferenciada. 

Ela não é uma artista destinada aos jornais ou revistas de fotografia certinha e que tentam imitar o real. A imitação do real talvez seja a última coisa que ela pretenda fazer. 

As fotos são produtos da formação cultural da artista e não é de se assustar que a identificação entre jovens que gostam de cinema e música seja instantânea com a arte viajante de Bassalo.
Temos que entender a fotografia como um código social, que decifrado nos diz muito sobre quem somos e pra onde vamos. Se as fotos dela são manipuladas não significam necessariamente que mentem, e se imaginação for mentira então vamos começar a refletir porque mentem para nós. 

Não dá pra olhar rapidamente pras fotos da artista e não querer desvendar o mistério delas. Faço o convite a quem se arriscar ter fortes emoções.

Quem quiser conferir mais do trabalho dela, só clicar aqui.


4 comentários:

  1. égua, vc sabe que não sou muito de palavras, vc viu quando me conheceu... mas cara, nunca ninguém conseguiu me descrever de forma tão intensa e poética, fantasiosa, real, nua e crua, como o que eu acabei de ler...juro que nem sei o que dizer, vc me fez uma PUTA surpresa, não sei mesmo o que dizer, então vou copiar e colar a coisa mais linda que eu já vi...

    O trabalho dela me dá uma sensação de amor revivido de forma artesanal, no qual juntamos cada lembrança de um jeitinho diferente. Dá uma vontade incontrolável de viver no mundo que Bassalo cria em suas fotos.

    ResponderExcluir
  2. PARABENS POR ESSE FELIZ COMENTARIO MINHA QUERIDA SOBRINHA E AFILHADA . ALIAS ISSO FOI UMA VERDADEIRA RASGAÇÃO DE SEDA DA AMIGA QUE LOGO VE-SE QUE É UMA FIGURA SÁBIA E MUITO INTELIGENTE ! PARABENS AS DUAS !

    ResponderExcluir
  3. obrigada mais uma vez!
    tava lendo esse texto, podíamos colocar ele no nosso projeto, que acha?

    ResponderExcluir