10/07/2012

Hellride, a banda que despertou meu lado motoqueira sem moto.

Foto: Flávia Furtado

Antes de tudo: Hellride é um filme foda, então para usar um nome desse em banda tem que ter coragem. 


Costumo ser bem sincera em tudo, então antes de qualquer coisa a ser dita, não conheço a fundo bandas de metal nem vertentes do estilo, tudo que é relacionado a metal que eu gosto acabou chegando em mim por acaso e acabei me apaixonando.

Por mais de 3 meses esse disco tava aqui em uma pasta no meu notebook e sempre deixava para ouvir amanhã e como vocês sabem o amanhã protelado parece nunca chegar, mas essa semana chegou.

Acredite, como muitos arrependimentos musicais que tenho, posso colecionar mais um, o de não ter ouvido logo a "Hellride".

Na descrição que eles fazem sobre si mesmos falam sobre ter influências de Metallica e de ter um som thrash metal. Mas não sei por qual motivo eles de cara me soaram um pouco "country", mas no sentido bom, fazendo eu me lembrar de bandas como "Demented are go" ou "The Meteors". Apesar de perceber alguns elementos de hardcore, por essa rapidez que as músicas tem, em alguns momentos me lembraram também "Slayer" em faixas como "Before its too late", uma das minhas favoritas do disco.

"Keep Hellridin" é a faixa que me deu vontade de comprar uma moto (risos). Chega pesando a cabeça e arrasando tudo com essa letra:
"Engines burning outside. The blood thirsty inside. You may join us or die. Join us or die!"
Que é algo do tipo:"Os motores queimam por fora e por dentro estão sedentos de sangue. Você pode se juntar a nós ou morrer"

Acho que por falar em sangue e morte que as pessoas não curtem o metal, mas a grande verdade é que a morte é algo presente não só na "morte", mas no cotidiano. Tudo morre um pouco quando nossas atitudes são de apatia com o mundo que nos cerca. Viver não é uma questão de respirar, é uma questão de agir.

A sonoridade da "Hellride" me lembrou o disco "Master of Reality" do "Black Sabbath", com direito a uma faixa de introdução, que no do Sabbath é uma tossida no começo de "Sweet Leaf". A "Solitude" tem sua equivalente no disco do "Hellride" com a faixa "Blame".

Lembrando que minha comparação é com o intuito de mostrar que a banda realmente é boa, que boas influências com toda certeza fazem o diferencial na hora de compor.

Em "The Dark Side of You" repare como o baixo segue colado com a bateria, muito "doido" mesmo, acho que é o adjetivo mais apropiado para essa música.

Esse ep que se chama "Unleash Hell" foi gravado no estúdio Chaar em Icoaraci e lançado ano passado (2011).

Em maio de 2011 a banda foi uma das finalistas das seletivas regionais do Wacken Metal Battle, festival que acontece todos os anos na Alemanha. Ficou entre as 3 primeiras colocadas do Pará.

Depois de ouvir sem cansar 7 faixas muito bem feitas só me resta dizer: Lucas Monteiro, Theo Queiroz, Eduardo Leão e Alan Souza, continuem fazendo o que fazem: música boa.

Se quiser conferir mais dos caras ouça aqui.


2 comentários:

  1. Valeu Monique,
    Muito bacana teus comentários. Que bom que vc entendeu a mensagem do disco! hehehe
    Aproveito pra deixar os links pra quem quiser sacar mais da banda:

    canal do youtube: www.youtube.com/hellridebrazil
    Página do facebook: www.facebook.com/hellridebrazil

    Obrigado pela força
    e Keep Hellridin' \m/

    ResponderExcluir
  2. Que legal Monique teu blog, tive a chance de conhecer os Hellriders em um show, acho que era uma seletiva, que aconteceu em uma praça na Cidade Nova, gostei muito do estilo trash clássico da banda que é o emu favorito, essa banda tem muito futuro, música sincera é tudo o que o povo precisa ouvir, não importa qual seja.

    Parabéns

    Rafael Oliveira

    ResponderExcluir