09/02/2013

Vocalista do Grizzly Bear especialista em tocar corações



Daniel Rossen é um dos vocalistas da banda Grizzly Bear, que mistura lo-fi, trip hop e alguns outros sons que dão o status de experimental, apesar de eu achar que nada ali é tão experimental assim no sentido de que tudo parece ser milimetricamente pensado, como um rio que desemboca em algum lugar por vontade e construção do homem. Mesmo assim muita gente ainda prefere os chamar de indie rock. 

Em março do ano passado Rossen lançou um trabalho solo, o EP "Silent Hour - Golden Mile", mas foi recentemente que comecei a ouvir, um amigo que curte tanto quanto eu a Grizzly Bear me recomendou essa produção do vocalista. Embarquei na hora, empolgada em ouvir e com medo de me decepcionar, mas a surpresa foi incrível. 

A faixa "Saint Nothing" começa com um piano cortando o coração de quem ouve e em certo ponto algumas notas começam a martelar mais rápido e de um jeito triste, enquanto Rossen diz coisas como "Levanta, levanta a cabeça. Mito. Tão intocável e branca com a idade, caminha comigo e fala comigo. Santa, não sei seu nome, mas sua voz é tão forte". E como se eu estivesse em um teatro vazio o som parece se espalhar por todos os cantos da minha casa e me preenche de forma que não sei explicar. É minha música favorita do EP. Reparem no Rossen tocando essa música nesse vídeo o rosto dele, o jeito como se entrega para música... é encantador. 

"Silent Song" é um enorme paradoxo, uma canção que fala sobre exílio, sobre nossa vontade de se fechar para o mundo e é obviamente a de sonoridade mais alegre, feita para cantar alto e de peito aberto em dias de sol. Grande ideia de Rossen, fico impressionada como ele consegue fazer do simples o espetacular.

"Up oh High" soa como a Grizzly Bear nos primeiros discos como "Horny Plent" ainda tímidos e mais simples, mas talentosos desde sempre. Essa música me lembra as viagens que eu fazia com meu pai de barco, quando andava de bicicleta por estradas de areia e meus amigos empurravam para pegar impulso. Lembrei de voltar da praia criança com as bochechas vermelhas e pensar: eu sou tão feliz. 

"É tempo de você retornar, vá achar o pedaço de paz que você merece" pode parecer que "Return to form" fale sobre morte, talvez fale, mas morrer e retornar a nossa verdadeira forma pode acontecer nas pequenas coisas. Quando penso nas pessoas que perdi para um mundo que não sei se existe percebo que estamos sempre olhando para o mundo como se tudo fosse destinado ao final, mas vejo os finais como começos de misteriosos ciclos. Essa música tem uma força diferente, Daniel realmente vê o mundo com olhos de desbravador.

"Golden Mile" encerra o EP com uma explosão de sonoridade, mostrando o melhor de Daniel Rossen e evidenciando porque o talento dele faz diferença em um momento em que muitas coisas soam superficiais e sem consistência. Lembrei do Donovan empunhando um violão e com toda a segurança do mundo atravessando nossos corações com suas músicas. 

"Sem luta, não há derrota. É uma corrida mentirosa pela liberdade e essas mentiras são preciosas para mim", profetiza "Golden Mile"Tem algumas coisas na vida que podem passar por nós e não nos farão falta, mas depois de conhecer essas composições jamais poderia as deixar de lado, pois simplesmente não tem como.


Para ouvir o EP acesse o canal de Daniel Rossen no youtube aqui.

Nenhum comentário:

Postar um comentário