09/06/2013

Sobre amor nulo, que nunca aconteceu, que nunca nasceu.




Então conheci você, era um garoto dentro de uma concha, falava dos sonhos que tinha, tudo era distante demais quando você lançava seu olhar para a estrada do futuro. Como as grandes guerras que implodem e explodem tudo, casas, prédios, escolas, calçadas, hospitais, pessoas, vi você surgindo, não era ainda homem formado, mas já não era apenas um menino inconformado com suas primeiras canções, era bruto em forma, mas com o inicio de lapidação. Quem dera soubesse você o quanto suas cores são fortes, o quanto bonito é palavra perfeita pra falar de ti. 

Chorei, chorei de verdade enquanto tocava Great gig in the sky, pensei que já não tinha mais idade para baques dessa maneira, que quase aos 25 nada podia acabar com meu coração, vivi aqueles amores intensos, de lençõis embolados, pés embolados, mãos dadas de palmas suadas, fui feliz. 

Então me vi solitária novamente, no meio de uma festa, as pessoas meio borradas passando em minha volta, e eu lá paralisada sem saber o que era isso, sem saber o que faltava em mim. Talvez a viagem que eu preciso fazer é longa, sinto The Shins aumentando ao fundo e posso caminhar, para bem longe onde nada importe, não as coisas que importam para as pessoas por aqui.

Dia desses andando pela rua percebi que eu tinha vergonha de tocar nas árvores, que passava por elas e havia uma barreira invisivel entre nós, já reparou que tem muito lixo aos pés das árvores aqui em Belém? Penso que elas choram, me sinto tão próxima por isso, minha condição parece tão semelhante, mas tenho os raios de sol, tenho as coisas boas, faço a fotossintese.

Você repousou as costas em mim, para escrever suas canções e suas crônicas lindas, que nunca quer mostrar, eu e minhas folhas demos um jeito de voar até seu colo e ler suas frases, eram tão frondosas quanto meus caules, senti que tinha seiva poderosa ainda em mim, me senti forte novamente, eu estava envolvida mais uma vez, sem saber se haveria resposta e não houve.

Você veio com seus discos favoritos, seu grande interesse por coisas que na minha solidão eram preciosas. Você chegou com sua voz fanha, seu sorriso de menino retraído, seu andar meio desajeitado e quando vê que está fazendo merda recolhe o lábio superior. Como Sing a Song For You do Tim Buckley choro por dentro e essa canção quem sabe pode encontrar o caminho que eu não achei até você.


Em meu coração é aonde eu espero muito tempo por você
Em meu sorriso eu procuro por você
Cada vez que você volta e vai embora
Eu choro por dentro
Meu jeito bobo, muito novo para conhecer algo mais

Em meu mundo, o diabo dança e desafia
Deixar a minha alma em qualquer lugar
Até eu encontrar tranquilidade neste mundo
Eu vou cantar uma música em todos os lugares que eu puder
Muito jovem para conhecer algo mais

O vento me protege do frio
As estrelas do céu estão ao redor de meus olhos
Muito longe, atrás da cidade aflita
Bem merecedora das pessoas de lá

Oh, os salmos amam ouvir.

Então,deixe-me cantar uma música para você
Só para melhorar o resto do seu dia
Deixe-me cantar uma música para você
Uma que eu conheço há muito tempo
Por favor, você poderia encontrar o tempo...


Um comentário: